Serasa dá dicas de como gastar no dia das crianças sem se endividar

Com a chegada do Dia das Crianças, a correria pode fazer com que o consumidor compre sem planejamento e cometa extravagâncias, estourando o orçamento. Mas é possível fazer uma escolha mais consciente e segura, sem deixar de agradar a criançada, segundo o superintendente de Serviços ao Consumidor da Serasa Experian, Júlio Leandro.

Ele recomenda cautela em meio ao atual cenário econômico com inflação e juros elevados, que acabam diminuindo o poder de compra. Os consumidores endividados não devem se descuidar gastando mais do que podem na data comemorativa, aconselha.

A Serasa aconselha que, antes de ir às compras, seja verificado o quanto pode ser gasto, levando em conta as dívidas pendentes e os gastos do futuro. Além disso, as decisões devem ser tomadas em família. Inclusive as crianças devem saber a real situação financeira da casa. Assim, é possível chegar a um valor de presente que agrade a todos.

Os preços devem ser pesquisados e pechinchados. Atenção especial deve ser dada aos preços dos brinquedos e eletroeletrônicos, cuja maioria possui componentes importados e, com a variação do dólar, podem ter ficado mais caros.

O mesmo produto deve ser pesquisado em lugares diferentes, pois algumas lojas podem ter estoques antigos e oferecer um preço mais baixo.

A criatividade pode ser usada para fazer em casa um presente para a criança. Uma dica é reciclar os materiais disponíveis em casa.

O consumidor deve ter cuidado com parcelamentos para não comprometer ainda mais a renda, já que o fim do ano está próximo e, neste período, os gastos aumentam ainda mais. A Serasa recomenda fazer o pagamento à vista ou dar uma parte maior de entrada.

Em caso de a criança pedir um presente caro, veja se é possivel transferi-lo para o final do ano, quando a renda está mais esticada, com 13º salário e bônus. Em último caso, cogite a possibilidade de o presente valer para as duas datas.

As despesas realizadas com cartão de crédito devem ser controladas. A Serasa informa que o pagamento integral da fatura é a melhor saída, evitando o rotativo do cartão.

As compras pela internet exigem atenção redobrada, principalmente com preços e ofertas mirabolantes, prazo de entrega e forma de pagamento que o site oferece.

Consumidor inadimplente deve buscar a renegociação com seus credores antes de fazer novas compras.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>